sábado, 25 de fevereiro de 2012

Curso: “Alimentação Sustentável”

Início 05 de março de 2012, às 13h30

A UMAPAZ promove o curso “Alimentação Sustentável” de 05 de março a 09 de abril, das 13h30 às 16h30, segundas-feiras, integrando as atividades do Programa Alimentação e Meio Ambiente. A facilitadora será a consultora em alimentação saudável, Denise Haddad.

O programa Alimentação e Meio Ambiente visa o reconhecimento de práticas conscientes de consumo como estratégias de promoção de saúde individual, coletiva e ambiental através de cursos, palestras e oficinas.

O curso tem como proposta abordar a importância energética dos alimentos vivos orgânicos que podemos cultivar em nossos quintais, promovendo a saúde e criando fontes de sustentabilidade e oferecer a oportunidade de elaborar pratos saborosos e saudáveis utilizando ingredientes locais.

A alimentação é um dos elementos chaves de nosso bem estar. Simplificando nossa alimentação e fazendo amplo uso de elementos vivos, despoluímos nosso organismo e despertamos nossa intuição, que nos guia para maior vitalidade, equilíbrio e alegria de viver. Uma alimentação equilibrada vitaliza e regenera o sistema nervoso, colabora com o aparelho digestivo e o funcionamento do intestino. Rica em fibras ajuda a controlar a obesidade e atua no bem estar geral.

Programa:

Dia 05/03/12 – A sabedoria do corpo / Desequilíbrios na alimentação

Dia 12/03/12 – Alimentos Vivos: benefícios e utilização;

Dia 19/03/12 – Alimentos com qualidade: da região, época adequada de colheita e produções com qualidade ecológica; aspectos estéticos dos alimentos;

Dia 26/03/12 – Alimentos nocivos / Importância da alimentação nas diferentes idades;

Dia 02/04/12 – Jardim Comestível – propriedades e utilizações;

Dia 09/04/12 - Desintoxicação

Denise Haddad é consultora em alimentação saudável, culinarista especializada em educação ambiental e psicoterapia corporal; coordena a consultoria Natureza Viva que desenvolve projetos na área de alimentação saudável e educação ambiental; coordena o projeto Plantar sementes que visa colaborar no processo de autonomia em relação à saúde alimentar com abordagens interdisciplinares; assistente social e instrutora de yoga.

Serviço:

“Curso: Alimentação Sustentável”

Dias e horário: de 05 de março a 09 de abril de 2012, das 13h30 às 16h30

Carga Horária: 18h

Coordenação: Angélica Berenice de Almeida e Suely Feldman Bassi

Local: Av. IV Centenário, 1268 - Portão 7A - UMAPAZ - Parque Ibirapuera

Vagas: 40

Inscrições: Os interessados podem se inscrever enviando a ficha abaixo devidamente preenchida para o e-mail inscricoesumapaz@prefeitura.sp.gov.br

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Curso: “Alimentação Sustentável”

Envie preenchido para inscricoesumapaz@prefeitura.sp.gov.br

1. NOME COMPLETO:

2. Idade

3. Sexo ( ) M ( ) F

4. RG nº Órgão: UF:

5. CPF nº

6. Escolaridade ( ) Ensino Médio ( ) Ensino Superior

7. Área de formação:

8. Setor em que trabalha:

Empresa privada ( )

Organização não governamental ( )

Órgão Público ( )

10. Se profissional da área ambiental, qual atividade que exerce atualmente:

11. Se servidor público, informe Nº RF e local onde exerce atividades:

12. Se educador, instituição em que exerce a função:

13. Endereço residencial:

14. Bairro: 15. CEP:

16. Região: ( ) Norte ( ) Sul ( ) Leste ( ) Oeste ( ) Centro ( ) Outro Município

17. E-mail:

18. Telefone fixo: 19. Telefone celular:

20. Por que deseja participar deste curso?

Use filtro solar

video

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Parceria inédita no Governo do Estado pode incentivar ações no município de Itapevi

Secretarias de Meio Ambiente e Educação articulam projetos em conjunto


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012


Os secretários estaduais Bruno Covas, do Meio Ambiente, e Herman Voorwald, da Educação, se encontraram na quinta-feira, 9, para discutir os projetos de Educação Ambiental articulados entre as duas pastas. Os técnicos e coordenadores de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Silvana Augusto, Maria Lucia Libois e Daniel Teixeira, e da Secretaria da Educação, Leila Aparecida Viola Mallio, Elizabeth Reymi Rodrigues e Aparecida Kida Sanches também participaram da audiência.

Meio Ambiente e Educação estão trabalhando em conjunto para difundir a educação ambiental para toda a rede de ensino. A proposta é capacitar mais de 600 professores e coordenadores em 28 diretorias de educação no estado sobre o assunto. O professor capacitado deve trabalhar como um multiplicador de conscientização ambiental. A meta é atingir toda a rede, que contará com quatro milhões de alunos, até 2015. “Se quatro milhões de crianças, que são a nova geração, crescerem preocupadas com o meio ambiente, podem mudar o país, até o mundo” diz entusiasmado Herman Voorwald.

A Coordenadoria de Educação Ambiental (CEA) da Secretaria do Meio Ambiente preparará o material sobre o tema e a Secretaria de Educação validará a metodologia. “É importante que o professor entenda o assunto e desperte a consciência ambiental no aluno além da sala de aula”, diz Bruno Covas.

A capacitação dos professores está prevista para agosto de 2012, e a partir de então será contínua. O curso, no entanto, é somente uma ação do plano de trabalho. A parceria também visa usar as infraestruturas já existentes para alcançar as metas. A Secretaria da Educação conta com a Escola de Tempo Integral, cujo regime conta com 313 estabelecimentos estudantis e a Escola Virtual de Programas Educacionais (EVESP).

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Educação Ambiental - Itapevi 2012

 No dia 13 de fevereiro foi realizada uma reunião entre os parceiros que realizam o curso de educação ambiental de itapevi – Secretaria de Educação e Cultura, Instituto Eurofarma e Instituto 5 Elementos. Na ocasião, foi acertada a continuidade do curso que, neste ano se baseará na coleção Consumo Sustentável e Ação. Serão 8 aulas ao longo do ano e 3 visitas técnicas, totalizando 33 horas de formação. Além disso, o número de professores participando do curso será aumentado para 35. Uma das principais metas para o curso deste ano é ampliar as ações dos professores nas escolas na forma de projetos e ações de educação ambiental.
Na reunião também foi acordada a continuidade do projeto Dedo Verde na CEMEB Governador André Franco Montoro tendo como principais metas o fomento ao desenvolvimento de projetos direcionados ao uso do espaço educador, bem como o fomento à autonomia da escola para a gestão do espaço educador construído em 2011.

Evaldo X. da Cunha (assessor da Secretaria de Educação e Cultura),
Neide S. Rocha (Instituto Eurofarma) e Grabriela R. Arakaki
(Instituto 5 Elementos) - Foto: Leila Vendrametto

domingo, 12 de fevereiro de 2012

LIMITES DA TOLERÂNCIA

Limites da tolerância

Leonardo Boff
Tudo tem limites, também a tolerância, pois nem tudo vale neste mundo. Os profetas de ontem e de hoje sacrificaram suas vidas porque ergueram sua voz e tiveram a coragem de dizer:"não te é permitido fazer o que fazes". Há situações em que a tolerância significa cumplicidade com o crime, omissão culposa, insensibilidade ética ou comodismo.

Não devemos ter tolerância com aqueles que têm poder de erradicar a vida humana do Planeta e de destruir grande parte da biosfera. Há que submetê-los a controles severos.

Não devemos ser tolerantes com aqueles que assassinam inocentes, abusam sexualmente de crianças, traficam órgãos humanos. Cabe aplicar-lhes duramente as leis.

Não devemos ser tolerantes com aqueles que escravizam menores para produzir mais barato e lucrar no mercado mundial. Aplicar contra eles a legislação mundial.

Não devemos ser tolerantes com terroristas que em nome de sua religião ou projeto político cometem crimes e matanças. Prendê-los e levá-los às barras dos tribunais.

Não devemos ser tolerantes com aqueles que falsificam remédios que levam pessoas à morte ou instauram políticas de corrupção que delapidam os bens públicos. Contra estes devemos ser especialmente duros pois ferem o bem comum.

Não devemos ser tolerantes com as máfias das armas, das drogas e da prostituição que incluem sequestros, torturas e eliminação física de pessoas. Há punições claras.

Não devemos ser tolerantes com práticas que, em nome da cultura, cortam as mãos dos ladrões e submetem mulheres a mutilações genitais. Contra isso valem os direitos humanos.

Nestes níveis não há que ser tolerantes, mas decididamente firmes, rigorosos e severos. Isso é virtude da justiça e não vício da intolerância. Se não formos assim, não teremos princípios e seremos cúmplices com o mal.

A tolerância sem limites liquida com a tolerância assim como a liberdade sem limites conduz à tirania do mais forte. Tanto a liberdade quanto a tolerância precisam, portanto, da proteção da lei. Senão assistiremos a ditadura de uma única visão de mundo que nega todas as outras. O resultado é raiva e vontade de vingança, fermento do terrorismo.

Onde estão então os limites da tolerância? No sofrimento, nos direitos humanos e nos direitos da natureza. Lá onde pessoas são desumanizadas, ai termina a tolerância. Ninguém tem o direito de impôr sofrimento injusto ao outro.

Os direitos ganharam sua expressão na Carta dos Direitos Humanos da ONU, assinada por todos os países. Todas as tradições devem se confrontar com aqueles preceitos. Se práticas implicarem violação daqueles enunciados não podem se justificar. A Carta da Terra zela pelos direitos da natureza. Quem os violar perde legitimidade. Por fim, é possível ser tolerantes com os intolerantes? A história comprovou que combater a intolerância com outra intolerância leva à aspiral da intolerância. A atitude pragmática busca estabelecer limites. Se a intolerância implicar crime e prejuizo manifesto a outros, vale o rigor da lei e a intolerância deve ser enquadrada. Fora deste constrangimento legal, vale a liberdade. Deve-se confrontar o intolerante com a realidade que todos compartem como espaço vital. Deve-se levá-lo ao diálogo incansável e fazê-lo perceber as contradições de sua posição. O melhor caminho é a democracia sem fim que se propõe incluir a todos e a respeitar um pacto social comum.